Sinistralidade Mundial

Actualmente, mais de 1,3 milhões de pessoas morrem (mais de 3.500 por dia) e cerca de 50 milhões ficam feridas com gravidade (mais de 135.000 por dia) todos os anos, no mundo, em consequência de acidentes rodoviários. Constituem a principal causa de morte na faixa etária dos 15 aos 29 anos.

A nível mundial, os acidentes rodoviários são responsáveis por:

  • 23% das mortes em consequência de causas externas
  • 38 milhões de anos de incapacidade permanente, constituindo, assim, a 9ª principal causa de anos de incapacidade permanente.

 

O Peso da Doença pelas 10 principais  causas,  no Mundo

Fonte OMS: As projecções para 2020 indicam os acidentes rodoviários como a terceira causa de morte e lesões a nível mundial .
Os acidentes rodoviários são a principal causa de morte entre os dez e os 24 anos.

 

Dimensão da Sinistralidade rodoviária a Nível Mundial

  • A maioria – cerca de 90% – das mortes em consequência de acidentes rodoviários regista-se em países de baixos e médios rendimentos, o que corresponde a 2/3 da população mundial.
  • À medida que a motorização aumenta, muitos países de baixos e médios rendimentos registam um número crescente de mortos e feridos em acidentes rodoviários, sendo potencialmente devastadoras as suas consequências em termos humanos, sociais e económicos.
  • Os utentes mais pobres e mais vulneráveis – peões, ciclistas e motociclistas – são as principais vítimas de acidentes rodoviários no mundo.
  • Os adultos economicamente activos, com idades entre os 15 e os 44 anos, representam mais de metade dos mortos em acidentes rodoviários.
  • Os homens estão muito mais envolvidos em acidentes rodoviários que as mulheres (constituem 73% das vítimas mortais).

Segundo projecção e previsões da OMS, em todo o mundo, e até ao ano 2020:

  • Os acidentes rodoviários serão a causa de 1,9 milhões de mortos em 2020 (aumento de 80% nos países pobres e redução de 30% nos países ricos) e de 2,4 milhões em 2030;
  • Os acidentes rodoviários serão a 3ª principal causa de anos de incapacidade permanente (2ª nos países de baixos e médios rendimentos)

Os custos económicos dos acidentes rodoviários atingem montantes que representam entre 1% e 3% do PIB.
Tais custos reflectem os gastos em tratamentos médicos, reabilitação, perca de produtividade, custos administrativos e legais, reparação dos danos causados em bens, etc.
Nos países de baixos e médios rendimentos, os custos dos acidentes rodoviários ultrapassam a totalidade dos fundos recebidos em assistência económico ao seu desenvolvimento.