Fadiga na condução.

Os jovens são fortemente afectados pela perda de sono, a duração da tarefa e o relógio biológico, quando conduzem durante as horas de sono. Estes três factores conduzem ao aumento da fadiga, o que pode ser reconhecido como uma perda de energia, à redução da capacidade de reagir e à relutância para continuar com a tarefa, que em última análise, pode resultar em adormecer ao volante.

A fadiga não é causada apenas pelo número de horas de condução, mas também pelo tempo gasto em outras tarefas antes de conduzir, pela duração e qualidade do sono, ou por situações de stress. Outro factor que causa fadiga é a hora do dia em que a viagem é realizada. Isto é particularmente importante para os jovens, uma vez que taxa de sinistralidade nos jovens condutores, à noite é mais elevada do que nos adultos.
A fadiga reduz a qualidade de muitos aspectos da tarefa de condução, tais como as reacções adequadas a mudanças inesperadas.

Os condutores tentam compensar a influência da fadiga, por exemplo, aumentando a exigência da tarefa de condução (por exemplo, conduzir mais rápido) ou diminuindo-a (por exemplo, aumentar as margens de segurança, reduzindo a velocidade ou usando maiores distâncias de segurança). No entanto, os acidentes e as observações efectuadas ao desempenho da tarefa de condução mostram que essas estratégias de compensação não são suficientes para eliminar o risco.

Como os adolescentes precisam de dormir mais do que os adultos, a fadiga pode afectar ainda mais os jovens do que os adultos.