Cinto de segurança.

Os condutores desta faixa etária concordam quase a 100% que o uso do cinto de segurança reduz o risco de ferimentos graves nos condutores e passageiros, mas 21.5% dos condutores do sexo masculino ainda acha que se “conduzir com cuidado”, os cintos não são necessários, e cerca de 85% pensa que existe o perigo de ficar preso pelo cinto em caso de emergência.

Nas observações efectuadas, nota-se uma grande utilização generalizada do uso do cinto de segurança pelos condutores e passageiros dos bancos da frente, mas uma muito reduzida utilização por parte dos passageiros dos bancos de trás.

Estes factos permitem concluir que:

os passageiros da faixa etária de 18-24 anos, que constituem um grupo de risco importante face aos passageiros dos restantes grupos etários, utilizam muito pouco o cinto de segurança quando viajam nos bancos da retaguarda.